A TRINDADE NA BÍBLIA

Em determinado momento acessei “meu” face e assisti uma aula pelo nobre professor Luis Artur da Faculdade Teológica Ibetel, confesso fiquei maravilhado. Falava o mestre citado, acerca da Trindade, maravilha.

Fui levado pelas minhas lembranças quando era professor na mesma instituição e quando orgulhosamente, depois de uma boa pesquisa iniciava minhas aulas abordando alguns conceitos […]

A partir de algumas anotações observei como conceituava “a Doutrina da Trindade (do latim trinitas “tríade”,de trinus “tripla”), define Deus como três pessoas consubstanciais, expressões ou hipóstases: o Pai, o Filho (Jesus Cristo) e o Espírito Santo; “um Deus em três pessoas”. As três pessoas são distintas, mas são uma “substância, essência ou natureza.

Entendo que de acordo com este mistério central a maioria das religiões cristãs, concordam em afirmar que existe apenas um Deus em três pessoas [como em 1 João 5.7-8]. Na Trindade apesar de distintas uma da outra nas suas relações de origem, nas suas relações uns com os outros são considerados como um todo, coiguais, coeternos e consubstanciais, e “cada um é Deus, completo e inteiro”.

Enfatiza em sua aula o nobre professor que “os pais da Igreja viram até mesmo elementos no Antigo Testamento, como o aparecimento de três homens a Abraão no capítulo 18 do Livro de Gênesis, como prenúncios da Trindade, mas foi no Novo Testamento que eles viram uma base para desenvolver o conceito da Trindade”. Creio que o mais influente dos textos do Novo Testamento, visto como implicador do ensino da doutrina da Trindade é Mateus 28.19, que manda batizar “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”.

A palavra Trindade não está contida na Escritura, nem há uma doutrina expressamente formulada da Trindade […] Pelo contrário, de acordo com a teologia cristã, as Escrituras ‘testemunham’ a atividade de um Deus que pode ser entendido apenas em termos trinitários. A doutrina não atingiu sua forma definitiva até o final do quarto século”.

Em plena concordância com o  “Mestre Luis Artur” creio que a doutrina trinitária professa que o conceito da existência de um só Deus, onipotente, onisciente e onipresente, revelado em três pessoas distintas, e isto depreende-se de muitos trechos da Bíblia. Um dos exemplos mais referidos é o relato sobre o batismo de Jesus, em que as “três pessoas da Trindade” se fazem presentes, com a descida do Espírito Santo sobre Jesus, sob a forma de uma pomba, e com a voz do Pai Celeste dizendo: “Tu és o meu Filho amado, em ti me comprazo”. E ainda:

E na fórmula tardia de Mateus: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”;
No relato em que a Trindade se revelaria por três anjos que apareceram a Abraão próximo ao Carvalho de Mamré (Gn 18.ss);
Na criação do homem se apresenta um criador plural: “Façamos o homem a nossa imagem e semelhança” (Gn 1.26);
No episódio da torre de Babel o Senhor Deus fala no plural: “Vamos: Desçamos para lhes confundir a linguagem, de sorte que já não se compreendam um ao outro.” (Gn 11.7)

Poderíamos citar outras referências bíblicas, contudo, como se trata apenas de um “lampejo plagiado” deixo que o nobre leitor, assim como eu, assista a Aula da Faculdade Teológica Ibetel.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.